O Programa Greenlist™ da SC Johnson avalia os ingredientes do produto

Programa Greenlist™ da SC Johnson: escolhendo ingredientes do produto para melhor proteger a saúde humana e o meio ambiente

Desde 2001, o programa Greenlist™ ajudou a SC Johnson a escolher ingredientes para melhor proteger a saúde humana e o meio ambiente.
Cada ingrediente que a SC Johnson usa passa por uma avaliação científica de quatro etapas que verifica perigo e risco. 
Quando você faz algo novo para a sua família, provavelmente considera os ingredientes que usa para ter certeza de que eles são boas escolhas que a sua família. Nosso processo de desenvolvimento de produto não é diferente disso. 

Desde 2001, o programa Greenlist™ de seleção de ingredientes da SC Johnson tem nos guiado, ajudando continuamente a melhorar os nossos produtos ao escolhermos ingredientes para melhor proteger a saúde humana e o meio ambiente.

Não é barato, e vai muito além do que é exigido por lei. Mas é pelo nosso compromisso com você e com todas as famílias que usam os nossos produtos que sempre faremos as escolhas mais fundamentadas que podemos. Isso significa despender tempo e recursos para avaliar ingredientes e usar essa informação para determinar como tornamos os nossos produtos eficazes e seguros.
Todo ingrediente em cada produto SC Johnson passa pelo nosso rigoroso programa Greenlist™. Seu ponto central é uma avaliação científica de quatro etapas que analisa os perigos e riscos. Está fundamentada na coleta dos melhores dados e é orientada por nosso compromisso em melhorar continuamente nossos produtos.

Tomamos muito cuidado em escolher ingredientes que passem por cada etapa da avaliação de quatro etapas. Há um número pequeno de casos onde o melhor ingrediente disponível, como o ingrediente ativo em um inseticida, pode ser reprovado em uma das quatro etapas. Em caso afirmativo, ele passa por uma avaliação de risco para determinar o nível de segurança para humanos e o meio ambiente. Então, nós aplicamos um grau adicional de cuidado.

A nossa avaliação verifica os seguintes critérios:

Passo 1: Perigos crônicos à saúde humana, tais como a possibilidade de causar câncer ou doenças reprodutivas. Nossa fontes de dados para isso incluem a California Proposition 65 e a Agência Internacional da Organização Mundial da Saúde para Pesquisa em monografias sobre Câncer. Tomamos muita precaução no Passo 1, e uma ampla maioria dos ingredientes que utilizamos é aprovada nessa etapa. Dos poucos que são reprovados, que tendem a ser ingredientes utilizados em produtos como inseticidas, configuramos um fator de segurança que é mais de mil vezes mais baixo do que o nível mais baixo que poderia causar impacto na saúde humana ou no meio ambiente.

Passo 2: Perigos ambientais de longo prazo, significando o potencial de persistir, acumular-se e ser tóxico no meio ambiente, que é conhecido por ser “PBT” (Persistent Bioaccumulative Toxic). Nossas fontes de dados para isso incluem a Agência Química Europeia (ECHA), a Lista de Substâncias de Alta Preocupação (Substances of Very High Concern, SVHC) da ECHA e o descritor da Agência de Proteção Ambiental (Environmental Protection Agency, EPA) dos EUA e seus critérios para avaliação de PBT. Como no Passo 1, toda indicação de ser um PBT fará com que um ingrediente seja reprovado na avaliação, acionando uma avaliação de uso seguro, conforme explicado a seguir.

Passo 3: Riscos agudos à saúde humana e ambiental
, tais como toxicidade em mamíferos ou na água. Em vez dos efeitos de longo prazo examinados nos Passos 1 e 2, este passo verifica os potenciais efeitos de curto prazo como irritação na pele ou a liberação de compostos orgânicos voláteis (COV) no ar. Nossas fontes de dados para isso incluem folhas de dados de segurança do fornecedor, o TOXNET dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, e as diretrizes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. O uso pretendido de alguns de nossos produtos influencia essa avaliação. Por exemplo, queremos que nossos inseticidas sejam tóxicos para insetos, mas seguros para humanos. Então, para determinados ingredientes, quando usados em certos produtos, permitimos diferentes níveis de impacto.

Passo 4: Outros possíveis efeitos
, por exemplo, é se um ingrediente pode causar uma reação alérgica na pele. O programa Greenlist™ foi concebido para a melhoria contínua, tanto em nossos produtos quanto no programa em si. Esta etapa final considera áreas em que dados e metodologias ainda estão sendo desenvolvidos e para os quais podemos querer considerar novos critérios para adicionar no futuro. Neste momento, nosso foco é alergênicos cutâneos. Queríamos ir além da convenção e oferecer maior transparência, então, desenvolvemos um processo científico externamente validado para identificação e transparência de alergênicos cutâneos. Enquanto esses ingredientes são usados apenas em quantidades que são difíceis de causar problemas, achamos que esses novos critérios do Greenlist™ adicionaram informações ainda mais úteis para os consumidores.
 
A ciência ilumina os impactos dos ingredientes, como esses impactos podem ser moderados e quando a melhor escolha é não usar algo.
Fisk Johnson, Presidente do conselho e CEO da SC Johnson
Todo ingrediente em potencial na Terra, inclusive oxigênio e água, pode ser tóxico em uma quantidade alta o suficiente. E em uma exposição baixa o suficiente, tudo é seguro. Então, todo ingrediente em um produto da SC Johnson deve ser avaliado para determinar se é ou não seguro. Naturalmente, existem padrões na indústria para segurança. Mas, na SC Johnson, vamos além.

Começamos com uma avaliação de perigos usando as informações de nossa coleta contínua de dados. Esta é a avaliação de quatro etapas que descrevemos anteriormente. Quando há um perigo em potencial, avaliamos o ingrediente para determinar em que concentração ele pode ser usado, se puder, sem qualquer efeito secundário conhecido para a saúde humana ou o meio ambiente. Esse é o nível de segurança.

Então, conduzimos uma avaliação adicional focada na exposição. Para isso, nós vemos como um produto pretende ser usado, mas também como ele pode ser usado além daquela intenção. Por exemplo, um limpa vidros pode acabar sendo usado na pia da cozinha onde alimentos são preparados. Ou, um produto que foi feito para ser usado apenas uma vez por semana, pode acabar sendo usado todos os dias por alguém que trabalha com limpeza.

Consideramos o uso possível mais amplo, e vamos além disso, selecionando quais ingredientes usaremos e em que grau.
VÍDEO
Natural x Químico
Seja sintético ou natural, alguns químicos podem ser muito mais seguros que outros. Veja como sabemos. 

 A avaliação em quatro etapas do ingrediente, que é fundamental para o nosso programa Greenlist™ usa as informações do fornecedor e dados científicos rigorosos que estejam disponíveis publicamente.

Nós também mantemos uma lista de ingredientes que não são permitidos, chamada de lista de “Não permitidos”. Isso inclui mais de 200 matérias-primas exclusivas, em quase 90 categorias de materiais, e mais de 2.400 materiais de fragrâncias. 

Esses materiais cumprem todos os requisitos legais e reguladores e geralmente são usados por nossos concorrentes. Mas eles simplesmente não atendem aos padrões da SC Johnson.

Alguns ingredientes entram na lista rapidamente, como os PVCs. Outros requerem uma avaliação mais extensa relacionada com exposição potencial e considerações de risco para produtos. Nossa lista de Não permitidos é revisada regularmente para assegurar que capte toda ciência nova e modificações nas políticas governamentais ou regulamentações. 

Enquanto trabalhamos para evitar materiais Não permitidos nos produtos da SC Johnson, às vezes, surgem situações onde não podemos evitá-los. Isso se deve geralmente ao fato de que não existe uma alternativa disponível que apresente o mesmo desempenho ou cumpra com os requisitos para o processo de fabricação, ou porque as opções disponíveis são muito caras.

Nesses poucos casos, uma exceção para continuar a usar o material pode ser concedida, mas essas exceções são raras e são revisadas a cada dois anos no nível mais alto da organização.

A metodologia Greenlist™ da SC Johnson é uma metodologia sólida, consistente, cientificamente rigorosa, flexível e inovadora para orientar a empresa e melhorar constantemente o perfil de segurança de suas formulações.
Alexandra Maertens, Ph.D., avaliação externa especializada do programa Greenlist™
Ao longo dos anos, à medida que o programa Greenlist™ da SC Johnson continuou a crescer e se desenvolver, nós o compartilhamos com especialistas e autoridades científicas. Ele foi criado com contribuições de especialistas do Fórum para o futuro do Reino Unido e a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, e foi revisado por organizações como o Fundo Mundial para Vida Selvagem.

Ele também foi reconhecido por um prêmio que inclui a Medalha de Ouro do World Environment Center em 2015, o reconhecimento Safer by Design em 2011, o prêmio Presidential Green Chemistry em 2006, e o Prêmio Ron Brown pela Liderança Corporativa em 2006.

Além disso, nós continuamos avaliando e procurando oportunidades para melhorar. Em 2017, nós compartilhamos os detalhes do programa Greenlist™ com líderes especialistas em toxicologia humana e ambiental para sua avaliação independente. Seu feedback validou o programa Greenlist™, os critérios e dados subjacentes que usamos, e nossa abordagem científica para selecionar ingredientes que consideram riscos e perigos. 

Por exemplo, a revisora Alexandra Maertens, Ph.D., uma toxicologista do Consórcio de Gestão de Risco Ambiental e pesquisa na Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, observou: 

“A metodologia Greenlist™ da SC Johnson é uma metodologia sólida, consistente, cientificamente rigorosa, flexível e inovadora para orientar a empresa e melhorar constantemente o perfil de segurança de suas formulações. A metodologia envolve uma análise abrangente de dados, uma fórmula clara para avaliar a qualidade dos dados e uma ponderação cuidadosa de perigos dentro do contexto de exposições esperadas e riscos consequentes.”

Outro revisor disse que as nossas abordagens de avaliação de perigo e risco são “inovadoras”. 

Veja mais detalhes sobre o nosso programa Greenlist™ em nosso Relatório de sustentabilidade da SC Johnson de 2017.

IngredientesTudo é química: Por que a SC Johnson está enfrentando as percepções negativas sobre as substâncias químicas sintéticas

Relatório de sustentabilidadeA SC Johnson Estabelece Novo Padrão de Transparência

IngredientesGalaxolida oferece um exemplo de como a SC Johnson toma decisões científicas relacionadas aos ingredientes

GreenlistO programa Greenlist™ da SC Johnson começa com dados: um trecho do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistExplicando o Programa Greenlist™ da SC Johnson: um trecho do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistO programa Greenlist™ da SC Johnson tem quatro etapas para melhorar

Próximo

Próximo

Próximo