Europlant da SC Johnson

Energia renovável abastece a SC Johnson com o uso de vento, sol, resíduos alimentares e lixo

A brisa da energia limpa: com o uso da energia eólica, três unidades da SC Johnson agora operam com 100% de energia eólica renovável.
Desde 2004, a SC Johnson alimenta parcialmente sua maior fábrica com uma surpreendente fonte de energia: lixo.

O consumo de energia no mundo continua a crescer. Na verdade, espera-se que ele cresça em quase 50% até 2040. É por isso que, em 2001, a SC Johnson já estava trabalhando para incluir novas fontes à nossa mescla de energia renovável. Para proteger o planeta, reduzir nossa pegada de carbono e manter os custos baixos, sabíamos da importância do investimento em fontes de energia alternativas.

Agora, mais de 15 anos depois, temos 10 iniciativas de energia renovável no mundo, empregando  o uso de energia eólica, solar, resíduos de cascas de palmeira, resíduos de arroz e até mesmo lixo. Hoje, um terço da energia que usamos no mundo é proveniente de fontes renováveis.

A energia eólica é o maior investimento em energia renovável da SC Johnson. Desde 2017, três de nossas unidades de fabricação operam com 100% de energia eólica, sendo em Bay City, no Michigan; Mijdrecht, na Holanda; e Gorzow, na Polônia. Duas outras unidades, nos Estados Unidos e no México, também usam a energia eólica em parte de seu consumo.

Em 2009, ativamos nossa primeira turbina eólica de propriedade da empresa, em Mijdrecht, que é onde fica nossa maior unidade de fabricação europeia, a Europlant. A turbina de 80 metros de altura gera cerca da metade da energia necessária para operar a instalação com quase 280.000 metros quadrados, enquanto a energia restante é energia eólica comprada.

O “bumerangue” de Huig Maaskant, alimentado por energia eólica.
Crédito da foto: Marilène-Dubois.
Europlant da SC Johnson, em Mijdrecht, Holanda.

Bay City, o lar de nossos sacos da marca Ziploc®, e Gorzow, que produz marcas mundialmente conhecidas, como Glade® e Raid®, ambas compram 100% de sua energia eólica de estações eólicas vizinhas.

E, a respeito do lixo. Não estávamos brincando. Em nossa maior unidade de fabricação global, Waxdale, um sistema de cogeração usa gás metano de resíduos de um aterro sanitário público nos arredores para gerar parte da energia eólica de suas instalações. Um segundo sistema de cogeração usa gás natural de combustão limpa. Juntos, ambos abastecem cerca de 85% das necessidades energéticas de Waxdale.

A outra fonte de energia de Waxdale é uma dupla de turbinas eólicas com 126 metros de altura ativadas em 2012. Atualmente, elas produzem cerca de 8 milhões de kWh de eletricidade por ano (o suficiente para abastecer 700 casas) e fornecem os 15% restantes da eletricidade de Waxdale.

As operações da SC Johnson em Medan e Surabaya, na Indonésia, usam resíduos alimentares como fonte de combustível para aquecer a água para os processos de produção. A Medan usa resíduos de cascas de palmeira e a Surabaya usa resíduos de cascas de arroz.

Embora o uso da energia eólica seja um importante foco em nossos esforços de energia renovável, também usamos outras tecnologias.

Em Medan, na Indonésia, usamos resíduos de cascas de palmeira como fonte de combustível para aquecer a água para a produção de repelentes de mosquitos em espirais. Isso nos permite reduzir o consumo de diesel em 80%. Ainda mais importante que isso, pegamos aquilo que seria considerado resíduo da produção e o transferimos de volta para a cadeia de valor.

De forma semelhante, em 2012, lançamos em Surabaia, na Indonésia, um programa de biocombustível usando resíduos de cascas de arroz. Novamente, esses resíduos são usados como fonte de combustível para aquecer a água usada na produção de repelentes de mosquitos em espirais. Essas duas iniciativas de biocombustível na Indonésia eliminam mais de 13.000 toneladas métricas de emissões de gases do efeito estufa por ano, graças ao combustível fóssil que deixamos de usar.

Além disso, projetos solares na China, na Indonésia e na Índia ajudam a fornecer água quente para as operações da empresa, incluindo os processos de controle de qualidade e de produção de aerossóis.

Juntos, nossos projetos de energia renovável permitirão que a SC Johnson reduza as emissões de gases do efeito estufa em suas fábricas do mundo todo em 55% em relação aos nossos valores do ano 2000.

Nossa busca por soluções de energia renovável está longe de chegar ao fim, mas somos sempre gratos por receber reconhecimento pelo progresso que fizemos até agora. A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) nomeou a SC Johnson em sua lista nacional de top 100 com os maiores usuários de energia verde.

Também fomos classificados na lista de top 30 de geração de energia local da EPA, que representa os maiores destaques dentro da Green Power Partnership. Mais recentemente, fomos honrados com o prêmio Excellence in Green Power Use de 2016 da EPA.

 

Energia renovávelEnergia eólica alimenta a maior unidade de fabricação da SC Johnson

Meio ambienteMarcos da SC Johnson na liderança ambiental

Energia renovávelAs iniciativas de energia renovável da SC Johnson ao redor do mundo

Arquitetura“Bumerangue” da Europlant da SC Johnson: a arquitetura inspiradora continua a aparecer

Relatório de sustentabilidadeIr Além: SC Johnson Divulga o Seu Relatsório De Sustentabilidade de 2016

A empresaFicha técnica: fábrica de Waxdale da SC Johnson

Próximo

Próximo

Próximo