O programa Greenlist™ da SC Johnson avalia os ingredientes dos produtos

Programa Greenlist™ da SC Johnson: Escolhendo os ingredientes dos produtos para proteger melhor a saúde humana e o ambiente

Desde 2001, o programa Greenlist™ ajudou a SC Johnson a escolher os ingredientes para proteger melhor a saúde humana e o ambiente.
Todos os ingredientes que a SC Johnson usa, passam por uma avaliação de quatro passos, assente na ciência, que atende aos perigos e aos riscos. 
Quando faz algo novo para a sua família, provavelmente tem em conta os ingredientes que utiliza para assegurar que são as escolhas certas e do agrado de todos. O nosso processo de desenvolvimento de produtos não é diferente. 

Desde 2001, o programa Greenlist™ da SC Johnson de seleção de ingredientes guiou-nos, ajudando-nos de forma contínua a melhorar os nossos produtos, através da escolha de ingredientes para uma melhor proteção da saúde humana e do ambiente.

Não é barato, e vai muito além do que é legalmente exigido. Mas é um compromisso nosso, perante si e perante todas as famílias que utilizam os nossos produtos, de que tomaremos sempre as decisões o mais informadas possível. Isso implica consumir tempo e recursos para avaliar ingredientes e utilizar esta informação para determinar como tornar os nossos produtos eficazes e seguros.
Todos os ingredientes, em todos os produtos da SC Johnson, passam pelo nosso rigoroso programa Greenlist™. A sua mais-valia é uma avaliação de quatro passos, assente na ciência que tem em conta os perigos e os riscos. Está sustentada na recolha dos melhores dados e guiada pelo nosso compromisso de melhorar de forma contínua os nossos produtos.

Preocupam-nos imenso em escolher ingredientes que passem cada um dos passos da nossa avaliação de quatro passos. Existe um pequeno número de casos em que o melhor ingrediente disponível, como um princípio ativo num inseticida, pode falhar um destes passos. Caso isso aconteça, é sujeito a uma avaliação de risco de produto para determinar o nível de segurança para os humanos e para o ambiente. Depois, aplicamos um nível mais elevado de cuidado.

A nossa avaliação tem em conta os seguintes critérios:

Passo 1: Perigos crónicos para a saúde humana, tais como potenciar o cancro ou doenças reprodutivas. As nossas fontes de dados a este propósito incluem a California Proposition 65 e as monografias da Agência Internacional para a investigação do Cancro, da Organização Mundial de Saúde. Nós dispensamos muita atenção a este passo, e a grande maioria dos ingredientes que utilizamos passam. Nos casos, muito poucos, que não passam, e que tendem a ser ingredientes de produtos como inseticidas, definimos um fator de segurança que é mil vezes inferior ao nível que poderia ter impacto na saúde humana ou no ambiente.

Passo 2: Perigos ambientais a longo prazo, significando o potencial de persistir, acumular e ser tóxico para o ambiente, que é conhecido como sendo um “PBT” (substância persistente, bioacumulável e tóxica). As nossas fontes de dados a este nível incluem a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA), a lista Substances of Very High Concern da ECHA e a U.S. Environmental Protection Agencys PBT Profiler e critério para avaliação para PBT. Tal como no passo 1, qualquer indicação de estar em causa um PBT fará com que o ingrediente não passe na avaliação, gerando uma avaliação de uso seguro conforme explicado abaixo.

Passo 3: Elevados riscos para a saúde humana e do ambiente
, tais como toxicidade aquática e em mamíferos. Em vez dos efeitos a longo prazo examinados nos Passos 1 e 2, este passo olha para os efeitos a curto prazo como irritação cutânea ou a libertação de compostos orgânicos voláteis (VOC) para o ar. As nossas fontes de dados a este nível incluem Fichas de Dados de Segurança, os U.S. National Institutes of Healths TOXNET, e as orientações da Organization for Economic Cooperation and Development. O uso previsto para alguns dos nossos produtos influenciam esta avaliação. Por exemplo, queremos que os nossos inseticidas sejam tóxicos para insetos, mas seguros para os humanos. Por isso, para determinados ingredientes, quando utilizados em determinados produtos, autorizamos diferentes níveis de impacto.

Passo 4: Outros efeitos potenciais
, por exemplo se um ingrediente pode causar uma reação alérgica na pele. O Programa Greenlist™ está concebido para uma melhoria contínua, tanto nos nossos produtos como como no programa em si. Este passo final considera áreas em que a informação e as metodologias ainda estão em desenvolvimento e poderemos querer adicionar novos critérios no futuro. Neste momento, o nosso foco são os alergénios cutâneos. Queríamos ir além do convencionado e proporcionar melhor transparência, por isso desenvolvemos externamente um processo válido assente na ciência para a identificação e transparência dos alergénios cutâneos. Embora estes ingredientes sejam utilizados apenas em quantidades que não levantarão grandes questões, sentimos que este novo critério Greenlist™ acrescentou ainda mais informação útil aos consumidores.
 
A ciência deixa bem claro o impacto dos ingredientes, como esses impactos podem ser moderados e quando a melhor escolha é não utilizar de todo.
Fisk Johnson, Presidente e Diretor-Geral da SC Johnson
Qualquer potencial ingrediente na Terra – incluindo oxigénio e água – pode ser tóxico se em elevados valores. E a um reduzido nível de exposição, tudo é seguro. Por isso, todos os ingredientes de um produto da SC Johnson têm de ser avaliados para determinar se são ou não seguros. Claro que existem níveis standard de segurança na indústria. Mas na SC Johnson vamos mais além.

Começamos com uma avaliação do risco utilizando informação da nossa recolha de dados contínua. É a avaliação de quatro passos descrita acima. Quanto existe um potencial risco, avaliamos o ingrediente para determinar até que nível de concentração pode ser utilizado, ou se o pode ser de todo, sem ter nenhum efeito adverso na saúde humana ou no ambiente. Esse é o nível de segurança.

Depois, realizamos uma avaliação adicional focada na exposição. Para isso, temos em conta a forma como um produto deve ser utilizado, mas também como pode ser usado para lá dessa intenção. Por exemplo, um produto de limpeza de vidros pode ser utilizado no balcão de uma cozinha onde se encontra comida preparada. Ou, um produto que se destinava a ser utilizado apenas uma vez por semana pode ser utilizado todos os dias por quem faz da limpeza o seu trabalho.

Nós consideramos uma utilização o mais ampla possível, e vamos ainda mais além, ao selecionarmos que ingredientes utilizamos e a que nível.
VÍDEO
Natural vs. Químico
Sejam sintéticos ou naturais, uns químicos podem ser muito mais seguros que outros. Veja como sabemos. 
A avaliação de quatro passos dos ingredientes, que é fundamental para o nosso programa Greenlist™, utiliza dados cientificamente rigorosos, que provêm dos fornecedores ou que estão disponíveis de forma pública. 

Também dispomos de uma lista de ingredientes que não são permitidos, denominada lista “Não Permitido”. Esta inclui mais de 200 matérias-primas, de aproximadamente 90 categorias de materiais, e mais de 2400 componentes de fragrâncias. 

Estes materiais reúnem, todos eles, os requisitos legais exigidos e são usualmente utilizados pelos nossos concorrentes. Mas simplesmente não reúnem os standards exigidos pela SC Johnson.

Alguns ingredientes constam da lista sem margem para dúvidas, tais como os PVCs. Outros exigem uma avaliação mais extensa relacionada com a exposição potencial e riscos dos produtos. A nossa lista Não Permitido é revista regularmente para garantir que abrange qualquer novo dado científico, alterações legislativas ou políticas governamentais. 

Apesar de trabalharmos para evitar os materiais Não Permitidos nos produtos da SC Johnson, ocasionalmente surgem situações em que não os podemos evitar. Geralmente deve-se ao facto de não existir uma alternativa disponível que assegure o mesmo desempenho ou que reúna as exigências para o processo de fabrico, ou porque as opções disponíveis são altamente proibitivas do ponto de vista do custo.

Nestes pouquíssimos casos, pode ser concedida uma exceção para se continuar a utilizar esse material, mas essas exceções são raras e revistas a cada dois anos, ao mais alto nível da organização.
A metodologia SC Johnson Greenlist™, é uma metodologia robusta, consistente, cientificamente rigorosa, flexível e inovadora para orientar a empresa para uma melhoria contínua ao nível do perfil de segurança das suas criações.
Drª Alexandra Maertens, uma perita externa que efetuou a revisão do programa Greenlist™
Ao longo dos anos, à medida que o programa Greenlist™ da SC Johnson continuou a crescer e a desenvolver-se, partilhámo-lo com peritos e autoridades científicas. Foi criado com a contribuição de peritos como o U.K. Forum For the Future e a U.S. Environmental Protection Agency, e foi revisto por organizações como o World Wildlife Fund.

Também foi reconhecido com prémios incluindo o 2015 World Environment Center Gold Medal Award, o reconhecimento 2011 Safer by Design, o prémio 2006 Presidential Green Chemistry Award, e o prémio 2006 Ron Brown Award para liderança corporativa.

Ainda assim, continuamos a avaliar e a procurar novas oportunidades para melhorar. Em 2017, partilhámos os pormenores do programa Greenlist™ com os principais peritos em toxicologia humana e ambiental para obter a sua revisão independente. O seu feedback validou o programa Greenlist™, os critérios subjacentes e os dados que utilizamos, bem como a nossa abordagem para a seleção dos ingredientes, assente na ciência, que tem os riscos e os perigos. 

Por exemplo, a revisora Drª Alexandra Maertens, toxicologista para o Consortium of Environmental Risk Management e investigadora no Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, realçou: 

A metodologia “SC Johnson Greenlist™, é uma metodologia robusta, consistente, cientificamente rigorosa, flexível e inovadora para orientar a empresa para uma melhoria contínua ao nível do perfil de segurança das suas criações. A metodologia envolve uma análise compreensiva de dados, uma fórmula clara de avaliação da qualidade dos dados e uma ponderação cuidadosa do contexto das exposições expectáveis e dos riscos inerentes.”

Outro revisor considerou as nossas abordagens de avaliação de perigos e riscos “animadoras.” 

Veja mais detalhes sobre o nosso programa Greenlis™ no nosso relatório de sustentabilidade da SC Johnson de 2017.

Relatório de sustentabilidadeA SC Johnson Estabelece Novo Padrão de Transparência

IngredientesA galaxolida proporciona um exemplo de como a SC Johnson toma as decisões sobre os ingredientes com a ciência

GreenlistExplicar o Programa Greenlist™ da SC Johnson: Um excerto do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistO Programa Greenlist™ da SC Johnson tem quatro passos de melhoria

GreenlistO Programa Greenlist™ da SC Johnson é um Programa Analisado pelos Pares: Um excerto do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistO Programa Greenlist™ da SC Johnson define normas de segurança: Um excerto do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

Seguinte

Seguinte

Seguinte