Agricultura sustentável e desenvolvimento económico no Ruanda: A SC Johnson apoia a agricultura da flor píretro

Fortalecer a produção de píretro com os agricultores da base da pirâmide significa desenvolvimento económico para as famílias.
“Esta iniciativa é um exemplo do valor das parcerias que ajudam a crescer a economia local.” – Fisk Johnson, Presidente e Diretor-Geral da SC Johnson

Enquanto parte do nosso compromisso em melhorar as vidas das famílias, durante mais de uma década procurámos por oportunidades para investir no desenvolvimento económico na base da pirâmide económica mundial, conhecida como a “base da pirâmide” ou “BOP” (base of the pyramid). 

Um exemplo recente é a nossa parceira com a The Coca-Cola Company e a Society for Family Health Rwanda no programa EKOCENTER. Através dela, lojas da comunidade geridas por mulheres disponibilizam repelentes de mosquitos e outros recursos necessários nas comunidades rurais.

Mas esse não é o nosso único esforço. Por exemplo, de 2007 a 2015, investimos na ajuda ao fortalecimento e expansão da capacidade das cooperativas agrícolas locais no Ruanda. 

A SC Johnson apoia mulheres empresárias e agricultura sustentável no Ruanda
Os objetivos dos nossos esforços no Ruanda eram aumentar as receitas e o nível de vida dos agricultores de píretro, e ainda encorajar as mulheres agricultoras.

Píretro, ou “py” é um inseticida à base de plantas, extraído das flores secas de crisântemo. São cultivadas por agricultores em África.

A SC Johnson utiliza o píretro na produção de alguns dos nossos produtos, tais como os inseticidas Raid® e Baygon® vendidos em todo o mundo. Por isso, é importante ter uma fiável fonte de produção de píretro. Começámos a explorar as oportunidades de apoiar os agricultores de píretro no Ruanda em 2007, assentes nos 40 anos de história de compra de píretro na África Oriental e no nosso trabalho para estabilizar o fornecimento local. 

Em 2009, iniciámos uma parceira formal com a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e o Instituto Norman Borlaug para a Agricultura Internacional na Texas A&M University chamado o Programa Píretro do Ruanda. O objetivo era aumentar as receitas e o nível de vida dos agricultores de píretro, aumentando as produções e melhorando a qualidade das flores de píretro que cultivavam.

Ao longo dos anos, a parceria conduziu a inúmeros avanços:

  • foi criada uma cooperativa de agricultores para promover as melhores práticas para a colheita e transporte de píretro. 
  • Com a cooperativa, grupos de produtores reorganizaram-se para eliminar intermediários que estavam a tirar dinheiro da cadeia de valor do píretro, e com isso manter os lucros com os agricultores.
  • Foram partilhadas técnicas agronómicas para aumentar as receitas que os agricultores poderiam obter da mesma quantidade de terras plantadas com píretro. 
 

Esta iniciativa é um exemplo do valor das parcerias que ajudam a crescer a economia local ao mesmo tempo que cria plantações sustentáveis como o píretro.
Fisk Johnson, Presidente e Diretor-Geral da SC Johnson
  • Informação sobre saúde foi disponibilizada às famílias agrícolas através da cooperativa para os ajudar a manter-se saudáveis. 
  • Os membros da cooperativa receberam formação em gestão financeira, liderança e boa governação, proporcionando-lhe mais eficácia na gestão futura do negócio.
  • O Projeto Salvação Píretro trouxe rádios alimentados à manivela até às comunidades agrícolas remotas, possibilitando acesso contínuo a notícias agrícolas, trocas comerciais e informação de bem-estar, bem como a programas predefinidos de temas como as melhores práticas para o cultivo e colheita das sementes.
  • A formação sustentável introduziu ferramentas agrícolas sustentáveis e os benefícios de uma abordagem sustentável para o negócio dos agricultores.

Fisk Johnson e os agricultores de píretro a aprender técnicas agrícolas sustentáveis no Ruanda
Durante o Programa Píretro do Ruanda, o Presidente e Diretor-Geral Fisk Johnson fez uma visita para um olhar atento ao programa e para conhecer os participantes. 

Quando o Programa Píretro do Ruanda ficou concluído, em junho de 2015, a produção de píretro no Ruanda tinha aumentado 371 por cento e o valor para os agricultores tinha aumentado para mais de 1,5 milhões de dólares em 2015.

Mais de 5000 famílias agrícolas foram assistidas pelo programa, que também logrou encorajar mulheres agricultoras e assegurou-lhes igualdade no acesso às tomadas de decisões e distribuição de lucros por parte da cooperativa. 

Maria Nyirambonizanye, membro de um grupo de 82 mulheres agricultoras de píretro que tinha organizado um grupo de poupanças ao longo do programa, disse que as finanças da sua família tinham melhorado significativamente. “Já não tento adivinhar de onde virão as propinas escolares,” explicou.

Agricultores ajudados pelo programa cooperativo agrícola Píretro
Maria Nyirambonizanye e o seu marido entre os agricultores ajudados pelo Programa Píretro do Ruanda.
Durante a última fase da parceria, a responsabilidade e organização do Programa Píretro do Ruanda foram transferidas para parceiros locais para assegurar que os agricultores de píretro e as suas comunidades iriam continuar a beneficiar nos próximos anos.

SaúdeA SC Johnson apoia as famílias no Ruanda com melhores acessos a cuidados de saúde e a prevenção de doenças transmitidas por mosquitos

ComunidadeSC Johnson lança a exposição “Carnaúba: a árvore da vida” no Museu da Indústria de Fortaleza, Brasil

FilantropiaSC Johnson oferece apoio para recuperação de país após terremoto

O nosso propósitoSubvenções da SC Johnson: As nossas diretrizes e áreas de foco

FilantropiaA SC Johnson ajuda as crianças a aprender a nadar, fundos para centro aquático de comunidade na cidade natal

FilantropiaSamuel Curtis Johnson definiu o padrão para a responsabilidade social corporativa e os donativos corporativos

Seguinte

Seguinte

Seguinte