Herbert F. Johnson e Sam Johnson no prédio administrativo projetado por Frank Lloyd Wright

H.F. Johnson, Jr. inspirou o futuro da SC Johnson com criatividade e ciência

Com sua busca sagaz pela excelência e pela aventura, H.F. Johnson, Jr., líder da terceira geração da SC Johnson, levou a empresa para um novo patamar.
“Cada comunidade em que operamos deve se tornar um lugar melhor porque nós estamos lá.” – H.F. Johnson, Jr.
“Algumas decisões servem apenas para os corajosos.” Estas palavras de H.F. Johnson, Jr., líder da terceira geração da nossa empresa, resumem as várias maneiras pelas quais ele influenciou a história da SC Johnson. 

H.F. foi nosso primeiro químico treinado, trazendo rigor científico para nossas linhas de produtos. Ele liderou uma expedição para a Amazônia em 1935 que, por fim, mudou a maneira como pensamos sobre responsabilidade. Ele tornou nossa empresa famosa com decisões visionárias, como convidar Frank Lloyd Wright para projetar nossa sede. E ele passou todo seu tempo de vida celebrando a dignidade do espírito humano.  

Ele foi, certamente, um líder corajoso. As influências de H.F. estão bem vivas na empresa de sua família hoje.
Herbert Johnson, Jr., líder da terceira geração da SC Johnson
H.F. Johnson, Jr., líder da terceira geração da SC Johnson.
Herbert F. Johnson, Jr., conhecido como “H.F.,” ainda era um adolescente quando viu a empresa evoluir da venda de pisos para uma ampla variedade de produtos para cuidados com o lar. Os produtos automotivos, sobretudo, como o Stop Squeak Oil, o Hastee Patch e o Radiator Cement, ajudaram a construir um nome que as famílias poderiam confiar.

Em seguida, veio o Freeze Proof. Projetado para proteger os radiadores dos automóveis Modelo T, o produto, na verdade, os dissolveu. Em 1918, a SC Johnson foi responsável por cerca de 500 radiadores inutilizados que nossos produtos haviam destruído.
Anúncio antigo de 1918 do Freeze Proof da Johnson
Depois que o Freeze Proof destruiu 500 radiadores, H.F. foi enviado para a faculdade para estudar química.
Herbert F. Johnson, Sr., que comandava a empresa na época, reconheceu que a presença de um químico na organização estava se tornando obrigatória. Então, ele enviou seu filho, H.F., para a Cornell University para estudar a ciência. Quando H.F. retornou em 1922, ele foi o primeiro químico graduado que a empresa teve em sua equipe. 
 
Ele construiu um laboratório onde era o banheiro de um escritório antigo, trazendo um novo foco para pesquisa e desenvolvimento no trabalho da empresa. Foi um compromisso que nunca vacilou. H.F. defendeu a qualidade do produto e o valor da ciência e da tecnologia ao longo de sua vida, tanto no laboratório quanto na fabricação. 
 
Como seu filho, Sam Johnson, lembraria, “Ele era o pai da tecnologia na Johnson Wax. À medida que nossa empresa se torna cada vez mais conduzida por tecnologias em constante mudança, temos a sorte de ele ter nos colocado em um caminho científico há muito tempo”.
À medida que nossa empresa se torna cada vez mais conduzida por tecnologias em constante mudança, temos a sorte de [H.F.] ter nos colocado em um caminho científico há muito tempo.
Sam Johnson, líder da quarta geração da SC Johnson
Em 1928, Herbert faleceu repentinamente, deixando as rédeas da empresa para H.F., que tinha apenas 28 anos de idade. E pouco tempo depois, a Grande Depressão começou, devastando a economia Americana e prejudicando negócios em todos os lugares. 
 
Muitas empresas perderam vendas e reduziram novos produtos. Mas, H.F. continuou determinado… e a ciência executou um papel importante. Impulsionada por seus investimentos em pesquisa e desenvolvimento, a empresa criou uma cera de autopolimento revolucionária chamada Glo-Coat. Ela se tornaria um dos nossos produtos mais populares e duradouros.   
 
Primeiro, tínhamos que convencer as pessoas a experimentá-la. Essa é a parte em que a coragem de H.F. foi fundamental. Ele autorizou a remessa de cerca de meio milhão de quartilhos (sem que houvessem pedidos!) para os varejistas da empresa pelos Estados Unidos. As lojas foram convidadas a vender ou a devolver o produto, tudo às custas da empresa. 
 
Mas o produto funcionou maravilhosamente bem, e a propaganda nacional já estava criando uma demanda. Então, como um livro de história da empresa relatou com reconhecimento, “Em meio à Depressão, quando não era possível vender amendoins, os varejistas venderam Glo-Coat.” 
 
O sucesso do Glo-Coat provou que um produto superior pode prosperar mesmo durante momentos de crise econômica e reforçou ainda mais nosso compromisso com P&D que perdura até hoje.
Herbert Johnson, Jr. encontrou o sucesso com o produto Glo-Coat da SC Johnson durante a Grande Depressão.
Com tecnologia exclusiva e marketing inovador, o Glo-Coat se tornou um dos produtos para pisos mais bem-sucedidos de todos os tempos
Além de garantir que a SC Johnson tinha criado produtos que funcionavam e eram embasados em boas práticas científicas, H.F. era um visionário de marketing, que conectou o nome da Johnson à qualidade, à criatividade e à aventura. 
 
Primeiramente, foi decisão dele patrocinar o programa de rádio popular “Fibber McGee and Molly” no auge da era do rádio. Durante as décadas de 1930 e 1940, o programa de sucesso alcançou 20 milhões de ouvintes por semana, narrando menções à nossa empresa e aos nossos produtos de maneira habilidosa. 
 
Depois, houve a expedição de 1935 para o nordeste do Brasil. Lá, H.F. buscou novas bases da carnaubeira para os produtos da empresa, e a oportunidade de desenvolver novos métodos para extrair e refinar a cera. Mais tarde, ele diria que a viagem mudou sua vida. 
 
E, então, veio o movimento ousado de contratar o arquiteto 
Frank Lloyd Wright para projetar a sede global da empresa em Racine, Wisconsin e, em seguida, nossa Torre de Pesquisa. A revista Life elogiou o prédio administrativo como uma “arquitetura genuinamente Americana” e como um retrato do futuro. Para H.F., foi um projeto simplesmente excelente, destinado a inspirar ótimos produtos. 
Produto para piso Glo-Coat da Johnson
Linha do tempo
Terceira geração: H.F. Johnson, Jr.
1899 –
1978
Veja a linha do tempo
 
 
Talvez a decisão mais corajosa de H.F. foi tomada no início da década de 1960, com a Feira Mundial de Nova York de 1964 tomando forma. 
 
Ao contrário de outras empresas que exibiam exposições de produtos em salas industriais, H.F queria compartilhar uma visão de paz e a dignidade da experiência humana. O resultado foi o teatro The Golden Rondelle e nosso filme vencedor do Oscar, To Be Alive!.
 
Mas este é apenas um exemplo do humanitarismo de H.F. Ele também é lembrado por introduzir benefícios trabalhistas durante sua liderança, como um plano de aposentadoria em 1934, um resort para os funcionários em 1951 e um convênio médico abrangente em 1961.
 
Como Sam escreveu sobre H.F., “Ele acreditava no bem da criatividade individual e na dignidade do homem e da mulher. Ele também pensava sobre a comunidade da mesma maneira. Ele frequentemente dizia, ‘Cada comunidade em que operamos deve se tornar um lugar melhor porque nós estamos lá’, apenas para garantir que todos nós entendemos”.
TOPO : Após ver que as crianças de Fortaleza, no Brasil, não tinham leite fresco, H.F. enviou 11 cabeças de gado pardo-suíço leiteiro para a comunidade.
FUNDO : No início da década de 1960, H.F. fundou a Escola Johnson no Brasil para as crianças locais. Hoje, ela atende 1.300 alunos.
Gado pardo-suíço leiteiro doado para Fortaleza, no Brasil, por Herbert Johnson, Jr.
Hoje, falamos da “teoria Dentro/Fora” de H.F. de que não podemos ter um ambiente saudável dentro da empresa, a menos que tenhamos um ambiente saudável fora dela, na comunidade. Esta noção comunica nossa filantropia e nossos esforços voluntários no mundo todo. 
H.F. foi, em primeiro lugar, um empresário. Mas, talvez de modo mais definitivo, durante sua vida, ele foi um aventureiro. Fosse lançando um novo produto, testando uma nova estratégia de propaganda ou viajando pelo mundo, H.F. viveu sua vida ao máximo. 
 
No filme Carnaúba: A Son’s Memoir, Sam observa que H.F. viveu todos os dias de sua vida com um pouco de aventura. E, se ele não pudesse encontrar uma aventura, ele faria uma acontecer. 
 
Foi este espírito, em parte, que convocou Sam a refazer a aventura brasileira de seu pai em 1998. Essa viagem trouxe uma admiração ainda maior por seu pai e pelos papéis que todos os pais e todas as mães desempenham por seus filhos. 
 
Como Sam gostava de dizer, uma grande empresa precisa de um grande espírito. H.F. se certificou de criar um grande espírito na SC Johnson, e é o mesmo que seguimos até hoje. 
Herbert F Johnson, Jr. na capsula espacial Mercury na McDonnell Aircraft
Sempre aventureiro, H.F. senta-se na cápsula espacial Mercury em um passeio pela McDonnell Aircraft no início da década de 1960

Família JohnsonGene Johnson: uma consciência para a SC Johnson, uma defensora da educação infantil

Fisk JohnsonFisk Johnson, atual presidente e CEO da SC Johnson

A empresaSC Johnson é uma empresa familiar

FilmesDe “To Be Alive!” a “Carnaúba: A Son’s Memoir”, os filmes da SC Johnson inspiram e encantam

FilmesFilme de Sam Johnson, “Carnaúba: A Son’s Memoir” é uma celebração de aventura e família

ArquiteturaDesign arquitetônico destaca-se no premiado anexo ao campus da SC Johnson: Fortaleza Hall

Próximo

Próximo

Próximo