O programa Greenlist™ da SC Johnson estabelece padrões de segurança: um trecho do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

a SC Johnson avalia cada componente para determinar se eles são seguros ou não. 
A SC Johnson considera o uso possível mais amplo e vai além disso, selecionando quais componentes usará e em que grau.
Todo ingrediente em potencial na Terra, inclusive oxigênio e água, pode ser tóxico em uma quantidade alta o suficiente. Então, todo ingrediente em um produto da SC Johnson deve ser avaliado para determinar se é ou não seguro. Naturalmente, existem padrões na indústria para a segurança. Mas, na SC Johnson, vamos além.

Começamos com uma avaliação de perigos, empregando as informações de nossa coleta contínua de dados. Quando há um perigo em potencial, avaliamos o ingrediente para determinar em que concentração ele poderá ser utilizado, se puder, sem qualquer efeito secundário conhecido para a saúde humana ou o meio ambiente. Esse é o nível de segurança.

Então, conduzimos uma avaliação adicional focada na exposição. Os cientistas da SC Johnson buscam o uso pretendido de um produto e como ele poderia ser utilizado pelos consumidores. Nós consideramos o uso possível mais amplo e vamos além disso, selecionando quais componentes utilizaremos e em que grau.

Por exemplo, para um produto de limpeza utilizado provavelmente uma vez por semana, vamos muito além. Analisamos qual pode ser o nível de exposição a um componente supondo que ele seja utilizado não só uma, mas muitas vezes durante um dia. 

Também consideramos as diversas formas como os consumidores podem utilizar um produto e entrar em contato com ele, como no caso de um produto para limpeza de vidro utilizado em um balcão de cozinha para preparar alimentos. Consideramos todos esses cenários de uso e os multiplicamos muitas vezes para criar um fator de segurança ainda maior e mais conservador. 

Em cada cenário, nossa meta é determinar o nível conservador “mais seguro do que seguro”. Então, essa se torna a concentração permitida para os cientistas da SC Johnson continuarem o desenvolvimento de um produto.
Todo componente em potencial na Terra pode ser tóxico em uma quantidade alta o suficiente. Então, todo componente em um produto da SC Johnson deve ser avaliado.

Avaliando o perigo

Nossa análise começa com a avaliação do perigo:

  • Identificação de perigo – Usando os critérios do Greenlist™, determine se há algum perigo que precisa ser avaliado, por exemplo, um ingrediente é tóxico para os seres humanos ou o meio ambiente?
  • Determinação de resposta – Usando as fontes de dados do Greenlist™ (de fornecedores e dados disponíveis publicamente), determine que quantidade do ingrediente pode ser usada sem efeito.

Aplicando ao desenvolvimento do produto

Com base na avaliação concluída, definimos a concentração mais alta do ingrediente permitida no produto. Essa informação é, então, usada pelos cientistas da SC Johnson para o desenvolvimento do novo produto e de melhorias aos produtos já existentes.

Para entender a próxima etapa do programa Greenlist™ da SC Johnson, leia sobre nossa avaliação de quatro etapas de perigos e riscos.

Relatório de sustentabilidade de 2017
Por mais de 25 anos, lideramos a transparência do setor ao reportar publicamente as iniciativas e o impacto ambiental da SC Johnson. Agora, veja nossos mais recentes resultados.
Ver o Relatório

GreenlistO programa Greenlist™ da SC Johnson começa com dados: um trecho do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistO programa Greenlist™ da SC Johnson é um programa revisado por especialistas: um trecho do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistExplicando o Programa Greenlist™ da SC Johnson: um trecho do nosso relatório de sustentabilidade de 2017

GreenlistO programa Greenlist™ da SC Johnson tem quatro etapas para melhorar

TransparênciaConfiança em uma tradição de transparência: Perguntas e respostas do Relatório de Sustentabilidade da SC Johnson de 2017

Fisk JohnsonEscolhas fundamentadas: uma carta do Presidente do conselho e CEO da SC Johnson sobre o nosso Relatório de Sustentabilidade de 2017

Próximo

Próximo

Próximo