O CEO da SC Johnson fala sobre microplásticos e saúde dos oceanos com especialista pioneiro em poluição marinha

De sacolas de mercado a roupas, o problema é maior do que você pensa

RACINE, Wisconsin, 1.º de julho de 2019 — Às vezes, as menores coisas causam os maiores problemas ambientais. É por isso que Fisk Johnson, Presidente do conselho e CEO da SC Johnson, se reuniu com o Dr. Peter S. Ross, ecotoxicologista e vice-presidente de pesquisa na organização de conservação global Ocean Wise Conservation Association (Ocean Wise). 

Johnson, que é Ph.D. em Física, e Ross, especialista pioneiro em poluição marinha, discutiram a disseminação de microplásticos e seu impacto na saúde do ecossistema de nossos oceanos. 
VÍDEO
O que são microplásticos? Fisk Johnson fala sobre saúde dos oceanos com especialista pioneiro em poluição marinha
A crise de plástico nos oceanos — resíduos marinhos e microplásticos
O problema da poluição plástica nos oceanos tem ganhado destaque nos últimos anos, e o foco principal tem sido colocado em resíduos marinhos plásticos maiores que são facilmente visíveis e identificáveis como plástico (garrafas e sacolas). Estima-se que há espalhados pelos oceanos 5,25 trilhões de pedaços de detritos com um peso total de 269.000 toneladas.

“Os resíduos plásticos são o único grande problema ambiental que temos de resolver como uma empresa, mas não conseguimos fazer isso sozinhos”, afirmou Johnson. “Empresas, governos e a sociedade civil precisam se unir para resolver o problema.”

Pouca atenção tem sido dada ao problema da disseminação igualmente generalizada de microplásticos (pequenos pedaços de plástico que medem entre um nanômetro e cinco milímetros de comprimento).2 Esses pedaços podem ter várias formas, inclusive fibras, fragmentos, esferas, folhas e poliestireno. Microplásticos, que geralmente não são visíveis, contribuem bastante para a poluição que prejudica os ecossistemas naturais e representam um risco global.

“Há plásticos por toda parte. Encontramos microplásticos em todas as amostras de água do mar que coletamos”, comentou Dr. Ross. “Grande parte dos resíduos plásticos que passa por sistemas de tratamento de água de esgoto é composta de fibras plásticas oriundas de peças de roupa. Isso sugere que os fluxos de esgoto doméstico e lavagem de roupa são um condutor importante desses microplásticos que terminam nos oceanos.”

De acordo com a Ocean Wise, os sistemas de tratamento de esgoto podem remover aproximadamente de 95% a 97% de resíduos sólidos, mas os 3% a 5% restantes permanecem na água tratada e acabam indo parar nos oceanos. 

Microplásticos e seus efeitos na cadeia alimentar
Microplásticos são uma preocupação crescente entre os cientistas, que estão apenas começando a compreender sua abundância em nossos oceanos e em todos os níveis da cadeia alimentar marinha3. Na verdade, um estudo da Ocean Wise descobriu as partículas em pelo menos duas espécies principais de zooplâncton no noroeste do oceano Pacífico4, e a pesquisa mais recente encontrou contaminação por microplásticos disseminada pela baía de Monterey. Essas espécies estão na base da cadeia alimentar, indicando possível contaminação entre os predadores maiores. 

“Microplásticos são uma ameaça à crise de poluição plástica, e a pesquisa do Dr. Ross mostra o quanto o problema se disseminou”, continuou Johnson.

Por meio da Ocean Wise, o Dr. Ross supervisiona 10 programas de pesquisa, incluindo o Programa de Pesquisa da Poluição nos Oceanos, que examina a presença de microplásticos e microfibras em ambientes aquáticos. 

Contendo a maré da poluição plástica
A SC Johnson já tomou medidas para conter o uso de plásticos e, consequentemente, sua contribuição para o problema. Além de se comprometer em usar produtos 100% recicláveis, reusáveis ou compostáveis até 2025, a SC Johnson anunciou recentemente uma parceria estratégica com a Plastic Bank, uma das principais organizações que trabalham para reduzir a crise global de plásticos nos oceanos. Conjuntamente, ambas abrirão nove centros de coleta de plástico em comunidades pobres na Indonésia, com planos de expansão.  

No início deste ano, a SC Johnson apresentou um novo frasco totalmente produzido com plástico retirado do oceano para seu Windex® Vinegar, o primeiro a ser feito para um produto de limpeza doméstica tradicional. Disponível em estabelecimentos varejistas nos Estados Unidos como Target e Walmart, os frascos são feitos de plástico retirado de uma área de 50 km do oceano ou hidrovia em países sem infraestrutura de coleta de resíduo formal. Os frascos ajudaram a SC Johnson e os consumidores a fortalecerem os programas de reciclagem global e reduzirem os detritos potencialmente prejudiciais que chegam aos oceanos. 

Mas o problema da poluição por plásticos não pode ser resolvido por uma única empresa. É por isso que Johnson assinou o Novo compromisso global da economia de plásticos na Conferência Our Ocean, realizada no ano passado em Bali, Indonésia, juntamente com Dame Ellen MacArthur e uma coligação mundial de empresas e governos. A iniciativa representa um valor compartilhado entre os líderes mundiais para construir e fomentar uma economia circular para os plásticos, criando um mercado para eles em cada estágio de seu ciclo de vida. Para colocar esses valores em ação, a SC Johnson e a Ellen MacArthur Foundation anunciaram uma parceria global em janeiro que abrange mais 17 organizações (entre elas, Intesa Sanpaolo, Danone, Google, H&M, Phillips, Renault, Solvay, Unilever e outras) para executar iniciativas de economia circular em escala e líderes no mercado. 
A SC Johnson é uma empresa familiar dedicada a produtos inovadores e de alta qualidade, à excelência no local de trabalho e ao compromisso de longo prazo com o meio ambiente e as comunidades onde atua. Com sede nos EUA, a empresa é uma das principais fabricantes mundiais de produtos de limpeza doméstica, armazenamento doméstico, purificadores de ar, controle de pragas e cuidados com calçados, além de produtos profissionais. A empresa comercializa marcas consagradas, como GLADE®, KIWI®, OFF!®, PLEDGE®, RAID®, SCRUBBING BUBBLES®, SHOUT®, WINDEX® e ZIPLOC® nos Estados Unidos e em outros países. Estão entre suas marcas fora dos Estados Unidos AUTAN®, BAYGON®, BRISE®, KABIKILLER®, KLEAR®, MR MÚSCULO® e RIDSECT®. Com 133 anos de história, a empresa gera USD 10 bilhões em vendas, emprega aproximadamente 13 mil pessoas mundialmente e vende produtos em quase todos os países do planeta. www.scjohnson.com